Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Histórias Naturais

por arcadajade, em 18.04.04

japon1850.jpg 


gravura japonesa, 1850


O Gato


 


O meu não come ratos, não gosta. Se apanha algum, é para brincar com ele. Quando brincou tudo, poupa-lhe a vida, e vai sonhar noutra parte, o inocente, sentado no caracol do seu rabo, a cabeça fechada como um punho. Mas, por causa das garras, o rato morreu.


 


Jules Renard, tradução de Jorge de Sena em Poesia do Século XX, Ed. Asa, 3ª ed, Porto, 2003


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

00:00


2 comentários

De anónimo a 18.04.2004 às 23:31

Acho que não deves deixar de editar o poema: 1º, dada a qualidade das edições do Oceanus; 2º, porque a minha Arca é um blogue discreto, como convém a uma gata madura e temperamental.
Eu digo à minha dona que passaste por aqui, LE. Ela vai gostar de saber :-)jade
</a>
(mailto:jade@iol.pt)

De anónimo a 18.04.2004 às 22:09

Possuo esse livro, e, estava à espera de uma oportunidade de o editar. Apenas afirmo, que não poderia ter sido de melhor forma realçado, que, pela dona de Jade, e, com essa imagem magnífica.
Parabéns pela conjugação.LE.
(http://oceanus-occidentalis.weblog.com.pt)
(mailto:oceanus-occidentalis@sapo.pt)